Últimas Notícias
03/08/2015
Representante do Sintert/AP participa de reunião para criação de entidade esportiva
Fonte: Sinterp/AP

 
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Empresas de Radiodifusão e Televisão do Amapá, José Maria Silva, foi convidado a participar de uma reunião de informações sobre criação da Associação dos Cronistas  Esportivos dos Amapá (Aceap) nesta sexta-feira, 31.

O evento aconteceu na sala de reuniões da Assembleia Legislativa do Amapá e contou com a presença de pessoas ligadas ao setor especificado, bem como de outros profissionais da imprensa. O objetivo foi explicar aos convidados a necessidade de fundar a entidade para agregar os profissionais que labutam na crônica esportiva amapaense, bem como demais detalhes sobre o funcionamento da entidade.

O representante do Sintert foi chamado para explicar sobre as funções regulamentadas pela Lei nº 6615/78, assim mostrar a importância que todos tem no mercado de trabalho e principalmente lutar pela valorização da categoria.

O presidente da Aceap Carlos Brito pediu apoio do sindicato no que se refere a orientação aos colegas militante da imprensa esportiva. Segundo ele esta área da comunicação no Amapá precisa ser mais valorizada e que tenha destaque na divulgação dos eventos no Amapá. A Aceap esta sendo criada com base no Artigo 90 F da Lei nº 12.395/11 .


Bope realiza capacitação para profissionais da imprensa no Amapá
 
Profissionais de imprensa do Amapá também participaram de uma palestra na última sexta-feira (31) no auditório da Polícia Militar com objetivo de orientá-los sobre comportamento em locais de crimes.
 
O evento teve como palestrante o capitão Kleber, diretor de operações do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e contou com presença de vários oficiais do batalhão formados em gerenciamento e controle de crises e distúrbios. O tenente-coronel Antonio Jackson, comandante do Bope, fez a abertura explicando a importância dos trabalhadores da imprensa amapaense receberem capacitação para lidar com ocorrências de grande vulto, principalmente aquelas em que acusados armados tomam pessoas como refém. Citou ainda que o evento foi solicitado pela direção do Sindicato dos Trabalhadores de Empresas de Radiodifusão e Televisão do Amapá (Sintert/AP) na pessoa do presidente José Maria. Repórteres, cinegrafista, fotógrafos, locutores em geral e acadêmicos do curso de comunicação prestigiaram o encontro e puderam tirar dúvidas sobre o tema.
 
Ao iniciar a palestra os oficiais fizeram uma explanação sobre o Bope desde quando foi criado em 1990 e que ele agrega quatro Companhias  sendo a primeira a Ronda Ostensiva Tática Metropolitana (Rotam), a segunda a CIA de Choque, a terceira a Companhia de Operações Especiais (COE) e a quarta o Grupo de Intervenção Rápido Ostensivo (Giro) e Canil. Segundo eles a imprensa passou a ser a principal protagonista nas ocorrências de crimes onde existem pessoas mantidas refém, visto que neste caso é comum o criminoso pedir a presença de trabalhadores da imprensa.
 
Sobre a participação da mídia, os militares enfatizaram que em todas as ocorrências de gerenciamento de crise o local é isolado e limitado em três perímetros, sendo que o primeiro é dos policiais, ou seja, apenas os militares tem acesso para negociação; o segundo perímetro é destinado aos profissionais de reportagem, parentes de acusados e advogados; e o último local é restrito a presença de curiosos.
 
“Todos devem permanecer nos lugares apropriados para não comprometer a negociação, cinegrafistas e fotógrafos não devem expor seus equipamentos em direção aos acusados  para que eles não se sintam ameaçados e disparem contra as equipes e comprometam o gerenciamento e principalmente ofereça maiores riscos aos reféns”, explicou o capitão Kleber. De acordo com o militar, a imprensa é alimentada de informações a cada instante sobre todo cenário do crime e teatro operacional, cuja informação é repassada por um oficial destinado especialmente para lidar com os trabalhadores de comunicação.
 
O Sintert firmou parceria com o comando do Bope e a partir de agora, pelo menos duas vezes por ano, eles vão promover esta orientação a imprensa, visto que as ocorrências de crimes são diferentes, bem como as atitudes dos suspeitos, então policiais militares precisam estar atentos a estes detalhes, assim como a imprensa.



Fonte: Sindicato dos Trabalhadores de Empresas de Radiodifusão e Televisão do Amapá
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
« voltar 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 avançar »


SEDE - Brasília DF
SCS QD. 06 Bloco A, Nº 141, Edifício Presidente sala 206/208 - CEP: 70.327-900 - Asa Sul, Brasília/DF
Telefone:(61) 3963-1065