Últimas Notícias
05/11/2015
Trabalhadores da EBC vão à greve dia 10 de novembro
Em assembleia nacional realizada nesta quinta-feira (5), os trabalhadores da Empresa Brasil de Comunicação decidiram entrar em greve a partir de zero hora da próxima terça-feira (10 de novembro). Além de não conceder um reajuste que atenda a demanda dos trabalhadores a EBC também quer cortar os vales de abono da ajuda alimentação (hoje em R$ 832,78), e congelar o vale-cultura e os auxílios creche e aos funcionários que têm filhos com deficiência.

Na quarta-feira aconteceu mais uma reunião entre os sindicatos e a comissão representantes dos trabalhadores e a diretoria da EBC para discutir a pauta de reivindicações da campanha salarial. Após cinco rodadas de discussão, a empresa mantém-se intransigente com a proposta de não reajustar o salários e manter os vencimentos congelados. A proposta colocada pela direção da EBC é parcelar em dois anos um "reajuste" de 5%, sendo que só a inflação devida aos trabalhadores pelo IPCA é de 9,49% (novembro de 2014 a outubro de 2015). A data-base da categoria é 1º de novembro.

Nova reunião de negociação está marcada para segunda-feira (9). E a próxima assembleia está agendada para terça às 12h30.

Os radialistas e jornalistas também aprovaram encaminhar uma carta à presidenta Dilma e ao ministro das Comunicações, André Figueiredo, cobrando respeito aos trabalhadores, ao caráter público da EBC e sua importância para a democratização da comunicação no Brasil. Está nas mãos da direção da EBC e do governo federal a possibilidade evitar a suspensão dos serviços na empresa.

Em 2013 a os trabalhadores da EBC ficaram 15 dias em greve por conta da intransigência da empresa.

A Fitert vem acompanhando as negociações representando o Sindicato dos Radialistas do Maranhão, que emitiu procuração à Federação. "Com isso, temos presenciado o descasos da EBC com os trabalhadores para manter um emissora pública com pluralidade e diversidade", ressalta José Antônio.

Representação - Em assembleia anterior, no dia 29, os trabalhadores também discutiram a polêmica participação da Contcop (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Comunicações e Publicidade) nas negociações. Há uma compreensão por parte dos sindicatos e de uma parcela de trabalhadores de que a Contcop não tem representado de fato os interesses da categoria à frente das negociações. Os funcionários decidiram manter a participação da Confederação na comissão até janeiro e retomar o debate a fim de não prejudicar ainda mais a discussão com a empresa.

"Avalio que a Contcop deveria ter bom senso e se retirar das negociações para que  sejam conduzidas pelas entidades que legalmente representam as categorias, que são os sindicatos, a Fitert e a Fenaj. Nossa prioridade agora é mobilizar e organizar os trabalhadores para defender seus direitos e reivindicações, e para que a conta da crise não fique nas costas dos funcionários. Por isso, vamos continuar participando da comissão na condição de representantes do Sindicato dos Radialistas do Maranhão e em janeiro voltamos a discutir. Na semana que vem, estaremos indo acompanhar a instalação do processo paredista no Estado do Maranhão", afirmou o coordenador da Fitert, José Antônio Jesus da Silva, que tem acompanhado a mobilização na EBC no Distrito Federal e no Estado nordestino.





ERRATA - A matéria havia sido publicada com o nome do ministro da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, Edinho Silva, e não do Ministro das Comunicações, André Figueiredo. A informação foi corrigida em 7/11 às 8h39.




Fonte: Da redação, com informações do Sindicato dos Jornalistas do DF.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
« voltar 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 avançar »


SEDE - Brasília DF
SCS QD. 06 Bloco A, Nº 141, Edifício Presidente sala 206/208 - CEP: 70.327-900 - Asa Sul, Brasília/DF
Telefone:(61) 3963-1065