Últimas Notícias
11/02/2016
Fitert completa 26 anos de lutas em defesa dos radialistas brasileiros
Fundada no dia 11 de fevereiro de 1990, no 1º Congresso dos Radialistas, realizado em São Paulo, a FITERT foi criada como alternativa à organização existente até então, que já não atendia aos anseios dos profissionais e às realidades do mercado de trabalho frente ao momento político vivido no País naquele período. Havia carência de uma política nacional autônoma que atendesse às expectativas dos trabalhadores e ao mesmo tempo pudesse acompanhar e propor alterações às propostas do executivo, neutralizando as influências dos empresários de radiodifusão em detrimento dos trabalhadores.
 
"O congresso foi impulsionado pelos sindicatos do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo e Brasília - pioneiros na fundação da Fitert. Logo após, vieram os sindicatos do Rio Grande do Sul, Goiás e Bahia. Assim o sonho virou realidade e uma federação combativa foi criada, e mesmo sem grana fez o que era necessário para a luta nacional do radialistas. E foram grandes os desafios e também conquistas", lembra o secretário de imprensa Nascimento Silva.

Desde sua fundação, a FITERT tem conseguido atrair os Sindicatos mais combativos da nossa categoria, dando um salto de qualidade na organização até então inexistente. Hoje são 22 sindicatos filiados.

Conquistas

A FITERT impediu que o Congresso Nacional modificasse a lei que garante o exercício de determinadas funções aos radialistas. Caso contrário, certas atividades que hoje são exercidas pelos radialistas passariam a ser exclusiva dos jornalistas. A ação da FITERT foi, assim, fundamental para garantir a atuação profissional da categoria dos radialistas.

Participação na luta pela democratização dos meios de comunicação. Uma das principais iniciativas para atingir esse objetivo foi o engajamento no Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC).

Ampliou o apoio aos trabalhadores ao associar-se a UNI - Américas , entidade que possui cerca de 6 milhões de trabalhadores (as) agrupados em 231 sindicatos em todo o Continente. A missão da UNI - Américas é "defender os interesses das (entidades) filiadas e dos seus membros na região e fomentar as metas e objetivos contidos no Estatuto da UNI, apoiar e aplicar as decisões do Congresso Mundial, do Comitê Executivo Mundial, da Conferencia Regional e do Comitê Executivo Regional".

Estimulou o legislativo a elaborar o pré-projeto de lei que institui a carteira de identificação nacional dos radialistas.

Missão

Promover a união dos Radialistas em nível nacional, junto aos demais trabalhadores, para conquistar uma sociedade justa. Para tanto, a FITERT procura desenvolver, organizar e apoiar todas as ações que visem à conquista de melhores condições de vida e trabalho para toda a classe trabalhadora de radiodifusão e televisão aberta e por assinatura, de produtoras de vídeo, dos trabalhadores administrativos em empresas de jornais e revistas de publicidade e agenciadores localizados na base territorial de seus sindicatos filiados, dentro do âmbito nacional.

Valores

Democracia
Garantir a completa liberdade de expressão aos seus filiados em harmonia com as decisões majoritárias e soberanas decididas durante as plenárias e os congressos. A FITERT defende a unidade de ação e mantém relações com o movimento sindical nacional e internacional, desde que seja assegurada a liberdade de autonomia de cada organização.

Independência
O princípio fundamental da FITERT é a independência da classe trabalhadora e sua autonomia diante dos patrões, dos governos e dos partidos políticos.

Solidariedade
Solidariedade com todos os movimentos da classe trabalhadora cujo princípio esteja de acordo com os valores presentes no estatuto da FIITERT.

Autonomia
Defende que os trabalhadores se organizem com total independência frente ao Estado e autonomia em relação aos partidos políticos e que devam decidir livremente suas formas de organização, filiação e sustentação material.

Defesa dos direitos humanos
Proteção dos direitos humanos (nacional e internacional) nas questões raciais de gênero, entre outras, indo além do âmbito trabalhista. Uma das formas de defesa dos direitos humanos é a luta pela ampliação do acesso de todos quanto à recepção e emissão de produtos de comunicação. Por isso mesmo a FITERT defende a democratização dos meios de comunicação.


Fonte: Da redação.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
« voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 avançar »


SEDE - Brasília DF
SCS QD. 06 Bloco A, Nº 141, Edifício Presidente sala 206/208 - CEP: 70.327-900 - Asa Sul, Brasília/DF
Telefone:(61) 3963-1065