Últimas Notícias
10/03/2016
2° Seminário Internacional de Gênero é um sucesso
No último final de semana (5 e 6) a Federação realizou o 2° Seminário Internacional de Gênero, em Aracaju (SE). Visando o fortalecimento da Rede de Mulheres Radialistas, que articula ações para a aproximação das mulheres e LGBTs dentro dos sindicatos e da Federação, possibilitando assim o entendimento das problemáticas vividas nas empresas de comunicação, o encontro realizou cinco mesas de debate e a eleição da diretoria da Rede de Mulheres Radialistas e Minorias.

A mesa de abertura contou com a presença de José Antonio, coordenador geral da Fitert, Fernando Cabral, presidente do Sindicato dos Radialistas de Sergipe e secretário sindical da Federação,Tereza Cristina Costa, secretária de política da mulher da Fitert, Rubem Hernandes, da Federação dos Radialistas do Uruguai, Marcelo Lima, da Associação de Defesa Homossexual de Sergipe, Edval Góes, da CTB/SE, e Almir Santana, da Coordenadoria de DST/AIDS-SE.

Dando prosseguimento ao encontro, aconteceram as mesas de debate “Comunicação e Gênero”, com a participação de Juliana Carreira Almeida, radialista e professora de jornalismo na Universidade Tiradentes. A mesa “Experiência Internacional na Questão de Gênero”, com a participação de Victor José Carpio Galiano, da SAIP Peru (sindicato peruano dos artistas), Veronica Vilarino, da SUTEP Argentina (sindicato dos trabalhadores do setor de entretenimento), Fernando Del Gaudio e  Ruben Hernandez, da FUTTVA Uruguai (Federação dos Trabalhadores em Televisão), Camila Manriquez Mansilla e Nancy Jara Vidal (representantes da Federação de Sindicatos dos Trabalhadores em Televisão do Chile) e Mirta Isabel Martinez, do Sindicato dos Trabalhadores em Rádio e TV no Paraguai. O debate sobre “Assédio Moral e Machismo”, com Georlize Teles, delegada e Secretária Municipal da Defesa Social e da Cidadania de Aracaju. E por fim a discussão sobre “Síndrome de Alienação Parental”, com Liliane Santi, psicóloga forense.

No segundo dia, a última mesa de debate “Ética na Política e no Trabalho”, contou com Mara Régia Di Perna, apresentadora do histórico programa de rádio Viva Maria, veiculado pelas rádio Nacional da Amazônia, Rádio Nacional de Brasília, Rádio Nacional do Rio de Janeiro e Rádio Nacional do Alto Solimões (do Sistema EBC). Encerrados os debates, os Grupos de Trabalho se reuniram para discutir os temários para a construção das propostas de resolução que foram aprovadas na plenária final do Seminário.

Como encerramento, realizou-se leitura, debate e aprovação do Regimento da Rede de Mulheres Radialistas, seguido da eleição da diretoria da Rede.

Para a secretária de política para a Mulher da Fitert, Tereza Cristina Costa, o 2º Encontro foi muito positivo. “Com novas resoluções e iniciativas para uma melhor atuação dos sindicatos e da Federação no combate a todo tipo de violência e discriminação contra as trabalhadoras e os trabalhadores, a Fitert se orgulha de mais um seminário. Com muito trabalho e esforço será possível avançar na luta pela igualdade de gênero dentro das empresas de comunicação no Brasil e no mundo”, concluiu a diretora.

Resoluções

- Apoiar a carta Em defesa de Lula, da democracia e contra o golpe, divulgada pela CUT.

- Encaminhar cartas orientadoras aos sindicatos sobre a necessidade de inclusão das mulheres e representantes LGBTs nas direções estaduais.

- Elaborar uma cartilha de gênero para orientação da categoria, balizada nas formulações da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, ambas subordinadas ao Ministério Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos.

- Criar spots e pílulas em vídeo (de 1 minuto, aproximadamente) para serem veiculados nas mídias sociais, com os conteúdos da luta contra a desigualdade de gênero.

- Enviar um vídeo das discussões no Seminário, com tradução, e o caderno de resoluções, às entidades internacionais participantes do evento.

- Promover uma revisão das convenções e acordos coletivos firmados nos estados onde há sindicatos filiados à Fitert, com o objetivo de incluir os itens que foram discutidos no 2º Seminário Internacional de Gênero.

- Que a Fitert viabilize um estudo para revisão da lei dos radialistas.

- Criar um 'Disque-Rádio Denúncia', sob responsabilidade da Fitert, para que os profissionais da comunicação possam denunciar violações de direitos humanos associadas ao machismo e à LBGTfobia.

- Formar um cadastro nacional dos radialistas.

- Criar uma tabela de valores de referência para o exercício de funções regulamentadas pela lei do radialista em âmbito nacional.

- Que a FITERT oriente os sindicatos estaduais a realizar campanha contra o assédio moral nas empresas de comunicação, de sindicalização das mulheres radialistas.

- Fazer um mapeamento das mulheres filiadas aos sindicatos.

- Cobrar ao MInistério do Trabalho e suas Superintendências Regionais mais critérios para a emissão de registro profissional.

- Que a FITERT intensifique a fiscalização sobre a atuação dos sindicatos.

- Enviar uma carta à CUT lamentando a ausência de representantes no Seminário.

- Sobre a periodicidade dos próximos seminários de gênero: realizar encontros estaduais para eleição de delegados(as) ao 3º Seminário Internacional - que deverá acontecer de 03 em 03 anos - além de realizar encontros regionais de gênero de 02 em 02 anos e propor a realização de encontros estaduais pelos sindicatos.

- Sobre a preparação dos próximos seminários:
a) Enviar previamente uma síntese dos temas a serem discutidos, bem como, dos currículos dos palestrantes internacionais;
b) Que os temas abordados tenham um período maior de debate.
c) Que os próximos encontros tenham mais temas voltados para a categoria dos radialistas.
d) Que haja depoimento de cada Estado pelas delegações presentes, no inicio do encontro.
e) Que os sindicatos estabeleçam plenárias estaduais para escolha das delegadas comprometidas com o evento, participando de todas as ações - e, em caso contrário, que sejam ressarcidas pelo sindicato as despesas que onerem a FITERT na garantia de participação dessa/s delegada/s.
f) Que cada participante elabore relatórios escritos sobre o evento e apresente ao seu Estado.
g) Que a programação seja enviada tanto antecipadamente quanto impressa para distribuição na abertura do evento.
h) Que seja encontrada pela FITERT uma forma de avaliação para cada evento.
i) Que seja mais criteriosa a escolha de palestrantes e temas.
j) Que sejam incluídas capacitações ou oficinas, além das palestras, na programação dos eventos.
k) Que haja um regimento interno de cada encontro e que o mesmo seja lido na abertura do evento.


Fonte: Da redação.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
« voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 avançar »


SEDE - Brasília DF
SCS QD. 06 Bloco A, Nº 141, Edifício Presidente sala 206/208 - CEP: 70.327-900 - Asa Sul, Brasília/DF
Telefone:(61) 3963-1065